31.10.09

Dilema

Charleston dancer

Audrey Hepburn

Greek Godess (ou qualquer coisa do género)

Amy Winehouse

qual deles vai ser?


29.10.09

YES BABY!




E seguindo as mais-que-correctas palavras da minha mãe, sinto-me estenuada.
Mas sei que sábado vai valer a pena. Só espero conseguir manter os olhos abertos.

25.10.09

Sinal de vida

Só para dizer que estou viva e de boa saúde, com três ilustrações em cima para fazer, feliz da vida, e hilariante com isto e isto.

19.10.09

Em caso de dúvida, quero deixar aqui bem claro que não sou, nem tenho qualquer relação com a Catarina Trindade que apareceu há momentos nos Ídolos.

E se fosse, com certeza teria seguido o tal concelho do Manel e feito o tal safari.
Que abécula.
















©  annette pehrsson


P.S: sim, estou magrinha como tudo e feliz como tudo.
P.S.2: Olhem aqui uma coisa tão gira!

18.10.09

obs.

_Trocadilho dia: a lixa "lixou-me" as unhas.

_Marketing de alta qualidade dos hippies: no caso de o cliente estar indeciso, colocar um modelo GQ versão "peace and love" a dizer "Bom-dia", lançar um sorrisinho e oferecer-se para guardar os brincos enquanto vou levantar dinheiro. Tiro e queda meus amigos, eles sabem-na toda!

_Que um comentário da pessoa certa pode mudar a perspectiva de um dia inteiro já eu sabia, mas é sempre bom ser relembrada.

_Num dia fui às aulas, fotografei, desenhei, visitei dois museus, comi um gelado, passeei, fui ao jantar do caloiro, dançei, e ainda acabei no Noobai com um suíço cuja abordagem foi toda menos vulgar. E adorei.

_ Neste momento estou a viver a calma antes da tempestade, porque ela vem aí. Já se sente a maré a mudar.

_ O Pedro Granger é de facto tão baixinho.

_ A Feira da Ladra é melhor que o Ikea.

_ Adorava conhecer "O Senhor Calvino" e ver o mundo da sua janela.

_ Numa diferença de um ano, pode-ser ver uma diferença incontornável no comportamento entre duas pessoas, única e exclusivamente provocada pela experiência particular que apenas uma viveu.

_ E é extremamente curioso como a nossa linguagem corporal muda consoante as pessoas com quem estamos. Em relação aos outros, é fascinante, porque parecem duas pessoas diferentes. Já em relação a nós, é assustador.

_ Tenho muita muita coisa para fazer e no entanto estou aqui a pensar em mais coisas para escrever. (mas não te preocupes Ana, a exploração dos sites já vai adiantada!)

_ Querem saber o que é que nunca vai constar nos meus desenhos? Exactamente, drapeados com riscas.

_ Haveria melhor música que esta para uma dança de abertura de casamento?

_ Il a dit que je suis trés romantique!

13.10.09

sumário


Less is more.
Observar é aprender.
Por vezes o melhor para nós não é permanecer na nossa zona de conforto. Muitas muitas vezes, aliás.
Não insistir com quem não quer ouvir. Também não vamos estar a berrar ao ouvido de um surdo, pois não?
Sinceridade = Bom. Inconveniência = Péssimo.

São talvez as coisas fundamentais que apreendi nestes últimos tempos. Agora comecem a compilar e façam um livrinho se querem, que isto é verdade.
Estou mesmo feliz. Não está tudo bem, óbvio que não está tudo bem, mas tenho tudo a meu alcance para. Distancio-me das coisas para as ver, sem preconceito, e isso é o suficiente para não cair em auto-comiseração à mínima coisa e esforçar-me ainda mais para que corra tudo ainda melhor. É assim que tem de ser. De todos os pecados mortais, acho que é da preguiça que padeço mais, mas estou a melhorar, é fantástico! É fantástico ter a percepção do que se passa à nossa volta, estar presente e perfeitamente consciente de tudo o que acontece e não ficar para trás nem à deriva. Isso é horrível, a sensação de ficar à deriva. Não há é grande vontade para fazer grandes textos, mas pronto, fosse esse o maior dos meus problemas. O que me chateia mesmo é a Maitê Proença. E o Santana Lopes. E o meu prof. de DCMP. E a Hello Kitty.


10.10.09

acabei de soltar um som que desconhecia ter dentro de mim ao ver uma aranha a subir-me pela camisola. É só isso.

8.10.09

Previously,

Ando com uma palete de Mebocaina na mala e inalo água do mar pelo menos umas três vezes por dia. Tentei cortar um pão congelado e cortei antes o meu dedo e o verniz vermelho das unhas começa a desaparecer antes que dê por isso. O prof. de projecto não gostou do trabalho de ninguém da turma, excepto de um ser genial. Duas vezes. E é melhor nem começar a falar das aulas de Desenho. Saio de casa como quem está no Inverno e chego a casa como quem está no Verão vestido com roupa de Inverno. Estou pálida porque 10 dias de praia não são o suficiente para uma pessoa se bronzear. No fim de semana comi uma das melhores refeições de sempre e acabei o dia com a cabeça enfiada na sanita. Ainda não tenho computador. A Amelie estragou-me a caixa dos óculos e, por falar nisso, acho que estou a ver pior. Também acho que a Amelie está grávida. Perdi a tampa da pen da Inês (mas eu juro que a encontro I, tu sabes que encontro (quase) tudo o que perco!). Não fui ao Rally Tascas. Passados 13Kg a D. Violante diz-me que gostava de me ver mais "cheiinha"...


Não fosse a exposição fantástica que vi hoje, o meu mais recente "home project", a minha vontade de fotografar e desenhar, os 13 perdidos, os vídeos-maravilha encontrados no Youtube, as aulas de Estética e de Códigos e Linguagens, os blogs de "streetstyling", novos amigos, velhos amigos, velha amiga, velhos pais, o facto de passar pela HM e a Zara todos os dias (mesmo que seja SÓ de passagem), o facto de estudar no meio de Lisboa, o que quero e onde quero, a sopa fantástica que fiz ontem, os scones fantásticos que acabei de fazer, o livro que estou a ler, esta música, a perspectiva de amanhã ir ao ensaio dos Reticências e o meu optimismo quase doentio, estaria feita ao bife.

6.10.09

(sen)sibilidade


















É curioso como uma simples melodia repetitiva em forma de assobio pode atrofiar tanto o sistema de uma pessoa como aquela música alta que alguns tipos decidem oferecer ao resto dos passageiros no comboio.

É claro também que a cena desenrola-se numa viagem de 35 minutos e a pessoa atrofiada em questão não conseguiu dormir nada durante a noite por ter o nariz entupido por ter apanhado uma estúpida constipação, literalmente, do dia para a noite (ou da noite para o dia, neste caso).
E para melhorar, a CP decidiu colocar aqueles avisos sonoros do fecho das portas ainda mais ensurdecedores. Ou então, lá está, sou eu que estou sensível demais, não sei.

5.10.09

4.10.09

Início

Papoilas que o vento agita
Não me canso de vos ver
Há lá coisa mais bonita
Que ser simples sem saber
Perguntaram a Amália porque é que não tinha ficado na América
Ela respondeu "Porque na América não há Lisboa."
(e assim se inicia este blog.)