27.1.10

(L)



E depois chá e chocolate. Hoje tem mesmo de ser.




couve lombarda e feijão

Adoro fazer sopa. É como pintar as unhas ou fazer a depilação. Não é preciso pensar em nada. Ir ao frigorífico, pegar no que há, lavar, cortar, pôr na panela, água, sal, azeite e já está. Depois vem a minha parte preferida: passar os vegetais enquanto o vapor da água a ferver sobe até à cara, embacia os óculos e me aquece as mãos. Por cima ponho o que quiser. Adoro quando há couve-lombarda e feijão vermelho ou então só feijão verde, são as minhas preferidas. Não é preciso medir, pesar, bater, mexer, ou ter medo de deixar queimar. Não há nada que saber. Para hoje é perfeito.

26.1.10

Achei que eram a tua cara!

Imagina-te envolvida nestas belas composições de linhas e tecidos.
E pronto, é esta a minha prenda: um belo momento de deleite mental (se é que tal coisa existe...)

Parabéns!


P.S.: antes que comecem a pensar "ah e tal para que é que ela escreve isto aqui se a mãe não vai ler?" - ela lê.

P.P.S: porque é que sempre que queremos imitar alguém começamos por "ah e tal" "ah não sei quê" ?

24.1.10

21.1.10

refresh

step by step, the want becomes real.















a sair do forno dentro de 5 minutos. Se o cheiro fotografasse...

19.1.10

Para aqueles a quem o gorro serve (e sou querida porque quero-vos com a cabeça quentinha)

Na faculdade, a meio de uma frequência, não se pergunta ao do lado uma questão de desenvolvimento com toda a lata. É feio e impróprio.





P.S: hoje é um grande dia. Não, não vou viver para NY. Não, não fui descoberta pela Tyra. Não, ele não apareceu à minha frente e disse com o seu british accent: "Hello Catarina I want to make babies with you". Podia ser, mas não.

A estação do Cacém abriu.
pergunto-me o que haveria de tão interessante na zona superior esquerda do meu monitor para estar cheia de dedadas.


pergunto-me também o que estou aqui a fazer antes de estar a rever a matéria. Sim, sou assim tão fraca.

18.1.10

ai eu ri-me tanto.

what I need is not what I want

want to cook
want to draw
want to escape
want to travel
want to take photos
want to dance
want to read what I want
want to dress up
want to talk
want to walk
want to drink a beer
want the sun
want to wear my sunglasses
want to wisper
want to see this
want to go to a plain
want to leave
want this











want to make out
want to cut my hair
want to learn how to sew
want to play the guitar
want to learn how to play the piano
want to learn chinese
want to ride a Vespa
want to trow my wake-up alarm to the wall



need to study

Fuck yeah Diana!

16.1.10

i love you Rachel Ann!

Opá, fantásticos e maravilhosos e tudo mais!
A sério... idol! Totally wannabe like her! Até pareço parva...
Vejam:

15.1.10

tão bonita.



adoro flores.

where is thee?

How do I love thee? Let me count the ways.
I love thee to the depth and breadth and height
My soul can reach, when feeling out of sight
For the ends of Being and ideal Grace.
I love thee to the level of everyday's
Most quiet need, by sun and candle-light.
I love thee freely, as men strive for Right;
I love thee purely, as they turn from Praise.
I love thee with a passion put to use
In my old griefs, and with my childhood's faith.
I love thee with a love I seemed to lose
With my lost saints, --- I love thee with the breath,
Smiles, tears, of all my life! --- and, if God choose,
I shall but love thee better after death.


daqui

that time of the year - choros nojentos por tudo e por nada. E a vontade de fazer isto: -.

14.1.10

nem tudo é má sorte


já cá canta (literalmente).

thursday the 14th
























viva as obras da faculdade! viva a chuva! e a lama! e as escadas! viva a junção das três e eu no chão! viva os dois pares de leggings e as collants pretas que tinha vestido! viva o novo ser roxo-esverdeado de 0,5cm de grossura (algo considerável para o feito) alojado na minha canela esquerda por tempo indeterminado! e finalmente VIVA por na altura do acontecimento estar todo o mundo a almoçar e ninguém ter visto tal espectáculo!

não sou de grandes quedas e tropeções (já fui!), mas quando me acontece, é logo por três ou quatro. É melhor não sair mais do meu quarto hoje, a casa tem escadas...

12.1.10

um "jogador de futebol" que há numa cirurgia de há três anos ficou com um bocado de broca na tíbia, um assalto a uma bomba, um assalto a um banco, um assalto a uma ourivesaria, um nacionalista com a mania da perseguição, a neve na Europa, o calor na Austrália, a neve outra vez, um puto que resolveu dar um tiro (de pressão de ar) ao colega - é impressão minha ou os telejornais estão sem tópicos de informação? 

8.1.10

Encontrei olhos abertos, fixos em nada. Olhos de quem tenta compreender alguma coisa, de quem perde alguém...

6.1.10

Barthes e Hume

Adoro adoro adoro adoro adoro adoro adoro adoro adoro adoro adoro pessoas simpáticas. São uma lufada de ar fresco.























Terry Richardson



E hoje descobri que utilizei Roland Barthes num relatório sem ainda conhecer a personagem. uhuh
Agora vou ali fazer uma recensão e já volto(not).

4.1.10

feel the rush



A sério, experimentem estudar/passar matéria para o computador/both ao som disto.

"let's screw up Catarina"



Chadwick Tyler































E eu pensei: vamos ver um filme assim daqueles que enchem a barriga para começar esta semana em grande.
Duas horas e dezassete minutos depois (como quem diz depois de limpar o ranho e os créditos acabarem) vejo um mail fantástico que invalida o trabalho que fiz nestas duas semanas de não-sei-o-quê-mas-férias-é-que-não-foi. Merda pá, agora nem os Ídolos salvam isto.

Vou beber um chá de lúcia-lima...

2.1.10

whenever wherever

to live list
























Claro que tenho uma lista. Quem me conhece sabe que sou uma pessoa de listas. Faço listas para tudo, mal seria se não fizesse uma life's to do list. Mas é minha, os desejos não são doze e não tem prazo de validade. Dar um prazo irreal às coisas só faz aumentar a frustração quando não se consegue cumpri-las. Olha, isso foi uma coisa que aprendi este ano. Este ano que passou, quer dizer. Também aprendi a não sobrevalorizar aquilo que é considerado empiricamente bom. Porque somos todos diferentes. Somos felizes à nossa maneira, as simple as that.

Sei que quero mais. Desenhar mais. Fotografar mais. Criar mais. Cozinhar mais. Amar mais. Rir mais. Ver mais. Caminhar mais. Viajar mais. Mais música. Mais filmes. Mais conversa. Mais beijos. Mais sabores. Mais livros. Mais mergulhos. Mais sol. Mais dinheiro (of course!). Mais muita coisa.

Mas a lista fica comigo.